Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Humorário

(um diário de rir para não chorar)

(um diário de rir para não chorar)

Humorário

18
Abr21

É Domingo e eu a falar de ratas

Humorosa

Tive um dia bom. Fui passear, apanhei sol, andei por sítios que não conhecia, em suma, um dia agradável para quem como a Humorosa gosta de conquistas a novos territórios e sol na face.

Não obstante, enquanto apanhava a roupa, senti uma enorme vontade de chorar, como sinto agora, neste momento. Aparentemente, seguindo a metodologia da Inteligência Emocional principiei à procura do que essa emoção me quereria dizer. A tristeza traz consigo a avaliação de algo como perda. Algo que perdi pelo caminho. Mas o mais engraçado é que aparentemente assim à primeira vista, não havia razão nenhuma para sentir que tinha perdido algo, pelo menos não no momento.

Arregacei as mangas, pus o monóculo, e qual Sherlock Holmes, comecei à procura do rato escondido que roía o calcanhar do meu estômago...

Assim que pus as lentes nos olhos a primeira coisa que comecei a ver foi bem de perto, bem definidos, ninhos de ratos meus senhores, ninhos e ninhos de ratos, uns mais fofos que outros, mas todos eles num muito pouco apropriado e ameno ajuntamento.

Comecei a dar-lhes nomes... 

- A avó Rata e a sua aparente quase-morte-a-acontecer

[A avó Rata já pregou muitos cagaços e sempre se safou. É rija e vai continuar a ser.]

[Se a avó Rata morrer pelo menos vai ficar em paz e serenar de uma vez por todas porque também já sofreu muito]

[Nem os médicos conseguem ser futurólogos. Vamos respirar um dia de cada vez, e agir momento a momento]

- A Ratita sensual sob ansiolíticos e que se esqueceu de quem era, vestindo-se agora apenas de leggings e roupa de desporto

[A Ratita sensual aparece sempre que tu quiseres, só tens que a praticar diariamente.]

[A Ratita sensual não precisa de estar sempre viva porque ela também gasta muita energia. Que ela possa aparecer quando for conveniente]

[A Ratita sensual nunca vai morrer dentro de ti. Está-te na massa do sangue essa vida.]

- A Rata desempregada e a sua tentativa de correria na roda do hamster-patrão

[A Ratita desempregada está a usufruir de férias pagas até Março de 2022.]

[A Ratita desempregada tem estado a investir na sua formação e não tem estado parada]

[A Ratita desempregada tem-se virado à vida como nunca, dando-se a conhecer de todas as formas e maneiras por isso a mensagem há-de chegar a quem tem que chegar]

- A Rata duvidosa, com todas as suas dúvidas existenciais

[A Rata duvidosa vai sempre existir dentro de ti. Só tens que a mimar quando ela começar com as dúvidas e lembrá-la que independentemente de tudo estarás sempre com ela e que é normal ter dúvidas. Andamos cá todos aos papéis]

[A Rata duvidosa e as suas dúvidas permite-te olhar para as áreas incómodas da tua vida levando-te a decidir se queres fazer algo a respeito delas ou só continuares a queixar-te]

[A Rata duvidosa permite-te escrever sobre temas existenciais com humor]

- A Rata que quer ajudar os outros mas que fica na dúvida se o seu caminho é por ali, se terá capacidade, e se quererá dedicar o seu tempo a isso

[A Rata que quer ajudar tem que se lembrar que ela se sente sempre melhor em fazê-lo do que ao não fazê-lo]

[A Rata que quer ajudar tem que se lembrar que pode ajudar desde que isso não mine o seu tempo e o que define que deve ser o seu espaço]

[A Rata que quer ajudar já tem experiência para perceber quando o seu espaço está a ser invadido e não gosta disso por isso pode sempre parar]

- A Rata que não se gosta de sentir triste

[Todas as emoções são importantes e nos ajudam a reflectir sobre os pensamentos que andam na nossa cabeça e a forma como estamos a ver a vida naquele momento. Aceita essa informação e processa. Só isso]

[A tristeza permite-te pedir ajuda a alguém, aproximar-te de um amigo, refletir com detalhe sobre o que passa. É só energia mais baixa e sensações mais desagradáveis mas... não vais morrer]

[Não é por estares triste que vais entrar em depressão, o mundo continua bonito e tu continuas a conseguir ver essas pequenas belezas por entre as lágrimas]

- A Rata cansada que não se gosta de sentir cansada

[A Rata tem feito muito exercício na rodinha por isso é normal andar mais cansada]

[A Rata está mais cansada porque tem estado em dor de forma mais constante e por isso está mais sensível e impaciente. Normal]

[A Rata está cansada porque não é uma superheroína nem mete pra veia prota da grossa. Viver normalmente também cansa e está tudo bem. Não vou morrer]

(a esta altura olho pra lista de baixo e penso que 3 pontos positivos para cada rata é cansativo...)

- A Rata que se culpa por ter tido uma noite de insónia por não ter conseguido gerir o pensamento de "isto tá tudo a correr muito bem" mesmo depois de um dia inteiro a estudar regulação emocional

[A Rata merece amor. A Rata não acerta sempre e está tudo bem. Assim valoriza mais quando consegue.]

[A Rata não precisa de ser perfeita. Não é inferior ou burra por não ter conseguido desta vez gerir a situação]

[A Rata não vai morrer, como não morreu, nas outras mil noites de insónias que já teve, e consegue sempre aproveitar o dia, tal como aproveitou hoje. Só ao fim do dia é que o cansaço deu espaço a esta pequenina tristeza]

- A Rata que tem saudades de pessoas e de festas e de dançar em festas

[A Rata tem todo o direito de sentir saudades de pessoas e cheiro de suor e diversão porque a Rata é uma Rata social]

[A Rata poderá combinar uma festa com amigos para dançar desde que com regras e máscaras]

[A Rata pode decidir inscrever-se em aulas de dança presencial e festas com segurança]

- A Rata que está cansada de ver sempre a mesma pessoa e falar com a mesma pessoa ainda que fale com trinta outras pessoas diferentes

[A Rata tem todo o direito de estar cansada de estar sempre com a mesma pessoa num contexto de 24/7 porque por mais maravilhoso que seja o Rato, é demasiado tempo para confiar a apenas uma pessoa com os seus interesses únicos e próprios que por vezes não se alinham com os da Rata. Está tudo bem. É normal que a Rata se sinta cansada e frustrada ao fim de um relacionamento de quase 14 meses sempre em alta rotação de presença e sustentação mútua em plena pandemia]

[A Rata pode combinar agora presencialmente estar com outras pessoas e falar do que bem entende]

[A Rata pode passar mais tempo fora de casa a fazer as suas coisas, inclusive com o seu computador]

- A Rata que tem saudades de conversas existenciais profundas com quem a entende

[A Rata pode ligar a quem tenha os mesmos interesses existenciais e falar, sem qualquer problema de consciência nenhum porque é para isso que servem alguns Ratos amigos especiais nesta matéria]

[A Rata pode ter conversas existenciais consigo mesma através deste blog, tal como está a fazer no momento]

[A Rata pode virar-se para a escrita e para a arterapia para libertar o que está a sentir]

- A Rata que tem pena que a Mãe Rata não se sinta feliz e que sabe que não pode fazer nada por isso

[A Rata tem que aceitar que a vida da Mãe Rata é só dela]

[A Rata pode ajudar a mãe rata a sentir-se melhor em pequenos momentos ligando-lhe]

[A Rata tem que continuar a fazer o seu caminho independentemente da Mãe Rata não o entender]

- A Rata que faz o melhor que pode para todos os dias ser um bocadinho mais feliz mas que tem consciência que há momentos em que não dá...

[A Rata tem que se lembrar de tudo o que tem feito até aqui e que lhe dá um enorme bem estar mesmo nos dias cinzentos:

1. Curso de Emoções para ratos

2. Abertura do boteco Humorário

3. Poemas, bonecos, e desenhos

4. Miminhos para si (unhacas, roupitxas, canetinhas para desenhar)

5. Yoga

6. Me time

7. Passeios, caminhadas, corridas...

(queres mais Ratica?)]

[A Ratica tem que se amar sobretudo nos momentos em que dá socos nos azulejos. Na verdade só estava a fazer um ensaio de tensão aos mesmos]

[A Ratica tem todo o direito de nos meio destes dilemas existenciais libertar a tensão por entre caralhadas, piretes, e putas que a pariuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu. Não ofende caralho!]

- A Rata que sente que precisava de psicoterapia ratal pro resto da vida porque tem ainda tantos nós no pêlo. Será que algum dia os desatará todos?

[Todos os ratos são loucos. Aprender a dançar na loucura]

[Se sentires que precisas podes sempre marcar com aquelas ratas de confiança um check up mensal para pôr as ideias em ordem. No stress]

[Vai usando as ferramentas que vais aprendendo sim? Sem pressão, sem perfecionismo. Só usar.]

- A Rata que ainda não pode fazer caminhadas e dança africana porque ainda tem um joelho fodido

[A Rata marcou consulta como uma rata grande sem ajuda da mãe da rata e vai resolver isso]

[A Rata vai aprender mais sobre o seu joelhinho e como se tratar daqui pra frente]

[A Rata tratou do seu joelho com amor, gelo e muita paciência para não caminhar em todas as estradecas pelas quais passou durante a semana que passou]

- A Rata rezingona que quando não faz as coisas todas como quer fica revoltada com o mundo e fica sem saber o que fazer, se se revoltar, se aceitar...

[A Rata rezingona é capaz de estar a precisar assim de um retirozinho sozinha para avaliar as suas necessidades, pode ser que apareça por aí algum]

[A Rata rezingona sabe sempre o que quer, só precisa de tentar abordar o tema com alguma calma e distância sem querer fuçar.]

[A Rata rezingona pode fazer uma lista das coisas que ganhou e que perdeu e dar valores/pontuação para tentar compreender o que pode e não pode mesmo abdicar]

(pausa nas ratas... afinal a ninharia era um ratagal ...)

De repente, encontrando tantas causas para este meu breve acesso de tristeza sinto uma voz de uma Ratinha ainda novinha mas já muito sábia que sussurra para mim: Tens razão para te sentir triste. Está tudo bem. Vamos lidar com todas essas ratas devagarinho, com calma, com compaixão, com tempo, para que as respostas possam ir surgindo... Não precisas de resolver tudo de uma vez. "Calma, o tempo é o seu melhor amigo..."

E de seguida, como manda a tática, voltou às Ratas atrás para lhes dar um banho de evidências entre parêntesis retos.

[Eu só sei crescer...]

25
Out20

Amálgama de coisas dos últimos dias que quero tornar rísiveis

Humorosa

Nem sei se rísiveis existe, mas vou assumir que é um conceito que define coisas cómicas/que me façam rir.

Adiante...

Ora pois que na sexta-feira saio de casa, tranquila da vida, (talvez tranquila demais em comparação com os restantes dias), e ao estacionar o carro, antes de colocar a máscara de darth vader, olho-me no espelho e qual não é o meu espanto quando vejo: UM MEGA PÊLO BRANCO, assim tipo 4 cms, super fino, a querer passar despercebido, bem colado à minha cara a desafiar-me. 

Olho para ele e penso, mas como caralho não te vi aí meu boi? E depois lembrei-me... Ya, Darth Vader style ... 

Com muita compaixão e ternura por mim, olhei-o mais uma vez, relembrei-me que fiz 31 anos há pouco tempo e arranquei-o sem dó nem piedade.

Prossegui.

Coloquei a máscara nas fuças, e delicadamente dirigi-me às instalações (aquelas que têm o chewbacca no wc) e fui trabalhar.

O dia passou-se. Dei comigo a pensar que criticava esta frase na minha mãe e agora coiso, aguenta-te que dizes o mesmo.

Saio com uma enorme vontade comer croissants da Uspot (quem conhece sabe porquê) mas o trânsito em fim de semana deixa-me desmotivada, (para além de que ia toda lançada para comprar uma máquina de sopa no Aldi que já não havia :'(), decido ir ao Aldi, compro umas arrufadas de substituição aos croissants (é menos gordo e assim portas-te bem), venho pra casa toda feliz... estou a comer a arrufada... e CRACK CRACK CRACK...

Um momento de FODA-SE interno:

Parti um restauro.

Apetecia-me desatar à caralhada, atirar umas merdas e tal, mas apenas soltei um sereno "acho que parti um restauro".

O meu Respetivo olha para mim e diz "isso não é nada" e prossegue com a sua vidinha.

Eu numa tentativa de não fazer daquilo o que aquilo não era mas as aminhas amígdalas queriam que fosse, ignorei.

E depois lembrei-me (durante a noite toda) porque é que não o posso fazer - meaning: O meu corpo entra em modo GUERRA DO VIETNAME e fica super hiper mega vigilantissimo qual soldado na frente da batalha, a querer controlar a guerra que não existe.

Passou-se o dia, a noite e na manhã seguinte, durante a pós graduação que estou a fazer em Inteligência Emocional percebo que somos todos uns valentes bichos e que eu, com todos os meus devaneios, emoções e o diabo a sete SOU MESMO NORMAL.

Funcionou como um relaxamento.

Agora só estou a panicar com as restantes coisas que tenho para fazer e que passam por coisas que eu ainda continuo secretamente a odiar mas estou a ser uma menina bonita e a ir super fofinha e religiosa tratar de mim: ANÁLISES e DENTISTA - o meu combo amoroso.

Wish me luck 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub