Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Humorário

(um diário de rir para não chorar)

(um diário de rir para não chorar)

Humorário

09
Abr21

Do desatino que é esta contínua busca de emprego

Humorosa

É Sexta-feira yeahhhhhhhh....

Devia tar a cagar-me para escrever um texto sobre procura de trabalho numa sexta-feira em que já há esplanadas abertas e eu estou a morar mais perto da praia no preciso momento... Só que não.

Imbuída de um espírito revolucionário venho deixar aqui o meu azedo de hoje sob a forma de pílula dourada de açúcar nas vossas beiças (e em primeiro na minha), porque estou, continuo e algo me diz que continuarei espantada com a forma como não consigo sequer cumprir os mínimos do que eu achava que era normal num processo de procura de emprego.

Ora então expliquem-me lá onde é que eu estou a falhar no processo:

Empresa precisa de um recurso -> Empresa põe anúncio nas internetes

Humorosa precisa de emprego -> Humorosa responde ao anúncio da empresa

Ora que, na minha altura de filosofia havia uma coisa que se chamavam silogismos, que creio que hoje se chamam "proposições lógicas" que explicavam sem pingo de amor que se p então q, p implica q. E pronto, sem discussões meus chouriços (só para honrar a memória do meu prof. de filosofia que nos acarinhava sempre com um caloroso "cala a boca chouriço").

Daí que sempre pensei que procurar emprego se resumisse essencialmente a responder a anúncios de emprego (que neste momento abundam na internet), *jingle do Só que não*, SÓ QUE NÃO.

Então o que acontece perguntam vós e muito bem. Bom, o que acontece é que eu mando email, cv, e de repente há toda uma OMISSÃO DE VIDA NA TERRA INTERNAUTICA. Ou isso a boa resposta polida e generalizada para todos os que se candidatam e mais alguns ets que possam quiçá receber essa notificação no seu email a dizer "Obrigada pelo teu tempo mas já tinhamos alguém para esta vaga mas como sabes tínhamos que abrir o anúncio porque temos kpis para cumprir e precisamos de um número x ou y ou z de currículos que entraram para poderem dizer que escolheram a pessoa W de entre esses mil (tantos!) candidatos e que são muito bons e merecem o prémio mensal." Ah esperem... isto fui eu a bolsar. A versão real é: "Obrigada pelo teu tempo e interesse na empresa x. Lamentamos mas devido ao enorme volume de candidaturas a tua não foi selecionada. Obrigada e bom dia."

[pausa para inspiração profunda que isto até tá escrito de forma humorosa mas continua a tirar-me do sério...

ai que lá se me sobe o meu colesterol que ainda por cima entre ontem e hoje enfardei duas merendas, um croissant de doce de ovo e ainda meia trança.. FUCK YOU TOO GOOD TOO GO - primeiro não me contratam... eu que fiz todos os vossos vídeos de seleção num inglês exímio e agora fazem-me gastar 2,99€ e sacar uma caixa de bolos e salgados de uma qualquer pastelaria perto de mim alimentando a gula que tento desde a minha adolescência perder. FUCK YOU SENHORES.

Com amor. E humor tá? Que isto continua a ser um post para rir...

(porque apesar de apetecer chorar é melhor assim, é o propósito deste blog, diz a Humorosa a si própria)

E é isto, por agora, putaquepariusomeapetecedizerpalavroeselembrarmequesouvalidaefofinhaequevaiaparecerotrabalhocertoporqueeujaandoatreinarparaaceitarnaosdizernaoseselecionarmelhoropeixequemecalhanarede.

My part is done, 

Uni(verse) now it's up to you!

28
Jan21

Da dissecação corporal e emocional que é reescrever um CV

Humorosa

Reescrever um CV é sempre para mim um exercício de dilaceração interna.

Talvez porque eu não consiga existir separada (no sentido emocional e racional e tenho o DAMÁSIO a dar-me palmadinhas nas costas e a dizer que eu tenho razão) o simples processo de rasgar, reescrever, polir, limar dá-me volta ao estômago.

Talvez ande nestes dois últimos dias como disse a M. na #teamnataazeda, talvez seja a minha crença de base de que todo o exercício de síntese me obriga a uma renúncia, e de que eu não quero ter que renunciar à minha essência complexa, agora que ando num exercício de auto-amor e aplicação de cola e fita cola e bostik e chiclete a todas as partes que eram minhas e que foram outrora cedidas e perdidas quando em relação com o mundo só para poder "encaixar" fazer o "fit". Fodam-se. Tou cansada. Chega. E chega mesmo.

Dentro de mim, quando começam a dizer que sou demais, que tenho energia a mais, ideias a mais, quero viver demais, quero sentir de mais, começou uma revolução interna que só se pode resumir ao seguinte gif:

Isto.

e que tem alimentado a minha tentativa de sanidade mental. Se eu gosto de escrever muito VOU ESCREVER CARALHO! Deixem-me. E com palavrões. Simplesmente porque também sei aceder ao meu lado de VERBORREIA CAMONIANA e por conseguinte saber como me comportar caso algum dia tenha que jantar à mesa do nosso novo e contínuo presidente Marcelo Rebelo de Sousa.

Entendei isto de uma vez: Se eu me sei comportar em qualquer contexto então eu posso, devo e VOU ESCOLHER de que forma me quero comportar e como me vou mostrar. As vossas percepções também têm que começar a ser desafiadas e se calhar se vos aparece uma engenheira como eu que é simultaneamente apaixonada por pessoas e é professora de yoga em vez de começarem a achar que ela é "esquisita" "freak" e "weird" deveria fomentar a vossa curiosidade para saberem mais seus cabeças de caralho!

Não posso e não devo ser só eu a mudar o meu discurso e o som da minha flautinha de Hamlin, é o vosso ouvido que também tem que aumentar o espectro e deixar esses estereótipos e heurísticas (que apesar de eu adorar a palavra caralho sei o que significa) de lado.

Obrigada e um queijo.

(com e sem lactose, e quiçá vegan para incluir todes)

Fui (ainda um bocadinho azeda).

Espero não bolsar.

24
Dez20

A banda sonora dos meus últimos dias naquele emprego...

Humorosa

Como já devem ter entendido aqui esta alminha tem a mania que é criativa ou lá o caralho.

Mas a verdade é que tem sido a criatividade que a tem salvo dos momentos mais complicados pelos quais passou e por isso, muito grata a esta minha cabecinha e espírito que me providenciam este dom de fazer humor até com cocó.

Assim sendo, deixo-vos a minha mais recente inovação para lidar com os 4 dias da próxima semana, que serão os últimos no meu atual trabalho (aquele em que fui despedida). 

[NOTA: Hoje escrevo-vos em teletrabalho porque depois de ter ofendido o meu patrão ontem, ou o gado bovino já não sei, levei um tapinha de humildade que o mocinho mandou-me ficar em teletrabalho, em casa, que é de onde vos escrevo hoje. Já agradeci ao universo sim e já apertei um bocadinho mais a cordinha na coxa para me flagelar e expiar este pequeno pecado.]

Mas o que importa é a seguinte lista, por isso atentem se não é uma rollercoaster de emoções com um GRAND FINALE:

Segunda-feira dia 28

Terça-feira dia 29

Quarta-feira dia 30

Quinta-feira dia 31

[Eu sou fixe, eu sei!]

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub